make a site

Introdução

Leia a Introdução do livro e conheça mais um pouco sobre o conteúdo do livro A Garota do Cabelo Laranja. Ótima leitura.

Se existe algo mais complicado, mais difícil de entender, esse algo é o amor. Alguns de nós o confundimos com a paixão. Já existem outros que dizem que ambos são iguais. Mas será mesmo? Por quê será que quando nos apaixonamos fazemos coisas impensáveis, coisas que jamais faríamos se não estivéssemos apaixonados?
É rotineiro vermos por aí, pessoas dizendo que estão amando o seu companheiro ou companheira, mas basta alguns poucos dias, meses ou até anos para os mais afortunados que conseguem manter-se juntos se separarem e, logo em seguida, já estarem declarando todo o seu amor a outra pessoa.
Na verdade, é sabido que o amor não é algo fácil de se lidar, e mais, não é fácil saber se está amando, na verdade eu nem sei se há maneira de saber, mas mesmo assim arriscamos dizer que sabemos. “Eu te amo”, dizem por aí.
A pessoa que afirma isso deve saber exatamente o que sente, né? Errado! Não temos certeza de nada!
Nossos sentimentos são passageiros.
Sabe porquê? Porque todo o nosso amor é condicional, salvo algumas raras exceções, todos amamos condicionalmente outra pessoa.
Quer ver um exemplo?
Um homem descobre que sua parceira o está traindo, seu jeito de se vingar é fazer o mesmo ou pedir separação na hora. Como disse, existem exceções, mas não estou aqui para falar das exceções, e sim da maioria de nós.
A pessoa afirma que ama alguém, mas basta este alguém não corresponder da forma como deseja, que deixa de amar.
Mas será que amava antes?
Talvez você diga: Ah, mas eu conheço pessoas que não são correspondidas e ainda assim amam a outra pessoa.
Eu respondo: Como você pode ter certeza?
Não conhecemos ninguém, não podemos afirmar isso. Eu também não posso! Mas faço-o pelas estatísticas, a maioria age assim. Não digo que não exista amor verdadeiro, me lembrei da Ana de Frozen. Sim, eu assisti! Tenho duas filhas pequenas.
Digo que o mesmo é raro, e que muitas das vezes não sabemos o que sentimos, confundimos ele com a paixão.
Por mais difícil que seja saber o que é o amor, nos arriscamos a dizer um “eu te amo” para alguém. Talvez dizemos isso para parecermos mais comprometidos em nossos relacionamentos.
Ou talvez porque apenas estamos dando a resposta que a outra pessoa espera de nós, ou quem sabe por “sentirmos” que amamos a outra pessoa. Independente do motivo vemos que esse sentimento é algo que está fora de nosso alcance.
Parece que ele veio de outro mundo e estamos tentando controlá-lo a todo custo, tentando entendê-lo.

A Garota do Cabelo Laranja mostra a vida de um homem que muda da noite para o dia quando ele se apaixona por uma garota de programa. Nessa história, ele descobrirá como age a paixão, e como age o amor, sentimentos que ele ainda desconhecia por completo. Quase sempre a paixão recebe o nome de amor, vejo cartazes colados por aí com a seguinte mensagem: Mais amor, por favor!
Quisera eu que as pessoas vissem a falta do amor verdadeiro, muitas relações se manteriam, e muitas outras nem existiriam. A verdade é que pessoas são descartadas a todo o tempo pela desculpa de que acabou o amor.
Sinto lhe dizer, o amor não acaba! Diferente da paixão, você escolhe amar e até quando amar!
As pessoas que são movidas pelo amor não são cegas. Engraçado que existe até a expressão: O amor é cego.
Tem até filme com esse nome. Mas não! O amor não é cego! O amor genuíno permanece quando provado, já a paixão some quando a mesma se depara com algum obstáculo.
O ser humano apaixonado fica surdo a voz da razão, é quando se está apaixonado que as pessoas cometem loucuras. Uma pessoa apaixonada muitas vezes é uma pessoa insensata, não tem noção das coisas, é como uma criança brincando com uma faca, ela se diverte com a sensação de euforia, não conhece os riscos, e quando não acontece nenhum mal, logo ela se cansa, pois a euforia passara. E o que ela faz em seguida? Procura outra coisa que a faça sentir-se do mesmo jeito. É aí que uma pessoa é descartada com a frase: Não te amo mais!
Conheço pessoas que vivenciam isso, adultos, adolescentes, todos procurando aquela sensação do começo do relacionamento. Claro, não paravam de começarem e terminarem relacionamentos. Ao invés de escolherem amar, escolhem se afastar da outra pessoa. É óbvio que quando um relacionamento é prejudicial, deve-se ocorrer a separação, mesmo se de um dos lados existir o “amor verdadeiro”. Ninguém deve ficar preso a alguém porque se ama e não é correspondido. Separação na maioria desses casos é a solução. É aí que ocorre algo interessante se você ama de verdade a outra pessoa. Seu amor não irá acabar, ele irá se transformar em outro tipo de amor. Você não irá desejar o mal para a outra pessoa, você até torce para que ela seja feliz, mesmo que seja com outra pessoa.
Todos somos aprendizes quando o assunto é paixão e amor. O que posso dizer é que se você se apaixonar, o que acontece muitas das vezes sem você querer, procure colocar a razão, a voz da sua consciência em primeiro lugar no caso de ter que decidir algo. Nunca decida sem consultar a razão, em assuntos que exige raciocínio consulte o cérebro e não o coração. O coração não pensa, ele age por pura emoção, é aí que mora o perigo. Apaixone-se! Ame! Mas faça tudo ciente do que se está fazendo, nunca, jamais faça nada por impulso!
Esse livro não promete trazer a resposta para o que é o amor, mas traz um vislumbre de como ele e a paixão podem nos afetar, mostra como ambos os sentimentos são complexos, como ambos podem nos confundir.
Talvez não haja explicações para o amor, mas com certeza quando você senti-lo de verdade, saberá que ele é real.


Adquira já o seu livro

Quer receber seu livro impresso? Clique no botão abaixo para mais informações de como proceder, caso queira o livro no formato de ebook clique aqui e vá direto ao site da Amazon. Muito obrigado e tenha uma ótima leitura!

© Copyright Jonas Kakaroto - All Rights Reserved

www.000webhost.com